A Clínica Materno Fetal disponibiliza o teste pré-natal não invasivo (NIPT), que é um método de triagem com alta sensibilidade e especificidade, capaz de detectar anomalias genéticas fetais a partir de 10 semanas de gestação.

O NIPT surgiu com uma alternativa ao método invasivo (coleta de vilosidade coriônica ou líquido amniótico por punção uterina), para o rastreamento das aneuploidias mais comuns envolvendo os cromossomos 13,18, 21 e os sexuais (chamado NIPT convencional), especialmente em pacientes de maior risco, como as gestantes com mais de 35 anos. Há ainda o NIPT ampliado, que permite a detecção do NIPT convencional e outras condições genéticas.

Por ser um método para rastreamento e não para diagnóstico, o resultado não será positivo ou negativo, e sim descrito como “baixo risco” ou “alto risco”, e a interpretação deste resultado precisa ser cuidadosamente analisado.

O cariótipo continuará sendo indicado pelo método invasivo, se a ultrassonografia revelar anomalias fetais ou se o NIPT tiver resultado sugestivo de alguma anormalidade (alto risco). Este método prevê a detecção de DNA fetal a partir de uma coleta simples de sangue materno, sem riscos para o bebê, com possibilidade de resultados em 15 dias. Em casos raros pode ser solicitada uma nova coleta do sangue materno devido à pouca quantidade de DNA fetal na amostra materna.

O NIPT não poderá ser realizado em caso de gemelaridade, consanguinidade do casal, gravidez que resultou de doação de óvulo ou no caso de a gestante ter recebido um transplante de medula óssea.

Devido a algumas limitações do teste, é recomendado que a paciente seja esclarecida por médico capacitado antes da realização do mesmo.