Exame realizado após utilização de medicamentos que visam diminuir o conteúdo intestinal, permitindo melhor visualização das estruturas pélvicas e aumentando a sensibilidade para o diagnóstico de alterações como por exemplo a endometriose.

Endometriose é uma doença caracterizada pela presença de tecido endometrial localizado fora da cavidade uterina. Pode comprometer os órgãos pélvicos adjacentes, como os ovários, trompas, intestinos e bexiga, como órgãos mais distantes, fora da cavidade pélvica ou abdominal.

Estima-se que até 10% das mulheres em idade reprodutiva apresentam endometriose. Muitas apesar de apresentarem sintomas sugestivos da doença, não tem diagnóstico definitivo. O atraso no diagnóstico pode trazer consequências sérias, com impacto na qualidade de vida e futuro reprodutivo dessas pacientes.

Os sintomas mais comuns incluem cólicas menstruais, dores na relação sexual, diarreia e/ou constipação cíclicas, alterações urinárias e infertilidade.

A severidade dos sintomas não necessariamente tem correlação com a gravidade da doença. Pacientes podem apresentar sintomas leves com endometriose bem avançada.

O ultrassom transvaginal simples tem capacidade limitada para diagnóstico de endometriose, não tendo portanto condições de excluir a presença de lesões profundas.

Hoje em dia, o ultrassom com preparo intestinal apresenta elevada sensibilidade e especificidade para a identificação de endometriose profunda, permitindo planejamento terapêutico adequado, que muitas vezes envolve equipe multidisciplinar e cirúrgicas mais complexas.